Jornalismo: aquele que existiu um dia

Fazia tempo que eu não via uma pataquada dessas. Não desse tamanho. Impressionante como a qualidade praticamente inexiste hoje no jornalismo. Ou os erros são grotescos ou há um baita interesse político. Sem mais, segue uma bela pérola:

Imagem

Como não sei quem originou a distribuição disso nas redes sociais, vou dar o crédito para o canal no qual me deparei com isso.

Perfis engraçadinhos

Não é de hoje que os perfis falsos no Twitter fazem sucesso. E o mercado de comunicação não poderia ficar de
fora dessa. Separei dois aqui que interessam diretamente ao pessoal que estuda e trabalha em agência de comunicação: @atendilento e @assessoranta.

Ah, se você quiser se divertir também com fakes de mídias sociais, seguem dois que valem a pena:  @socialmerda e @socialdepressao.

Se tiver mais algum pra indicar, manda bala nos comentários!

Finalmente o outro lado

Há muito tempo alguns assessores de imprensa me criticam por eu só expor os erros que eles cometem. Ameaçavam criar um blog para contar os absurdos que já viram na redação. E eu sempre estimulei que fizessem isso para que mostrassem também o outro lado.

Eu fiz a provocação. E não é que deu certo? Vale a visita ao Pérolas dos Veículos e Jornalista. Certamente vão receber muito material para rechear o blog!

Carnaval

Bem, já que o blog Ócio 2007 perdeu a chance, eu acabei fazendo. Nos últimos dias vi uma série de reportagens sobre o Carnaval e, invariavelmente, todos falavam sobre samba enredo. A qualidade das músicas caiu muito nos últimos anos, aquelas letras imortalizadas não existem mais.

Acabei fazendo, então, uma brincadeira. Lembram daquela tabela de “Bingo de Reunião”, em que você preenchia cada palavra pronunciada por um participante do encontro? A minha idéia é a mesma, o “Bingo de Carnaval”. Dessa vez, porém, é só preencher a tabela cada vez que uma das palavras aparece em um samba cantado na avenida.

São tantas as palavras que consegui formar duas tabelas. Dá até para competir. É só clicar nos links abaixo e fazer o download de sua cartela:

bcarnaval12

bcarnaval21

Outra dica é do Deh Rodrigues. O gerador de samba enredo das escolas de samba. Vale a pena brincar um pouco:

COMO FAZER UM SAMBA-ENREDO?

Escolha uma ou mais opções nos tópicos abaixo e depois monte o seu próprio samba-enredo. Eu fiz o meu com as palavras em negrito.

VAMOS LÁ!!!

1)    COMO A ESCOLA CHEGOU?
Caminhei / Naveguei / Voei

2)    QUAL FOI O RUMO/CAMINHO?
Essa terra de meu Deus / Esse chão que dá o pão / Pelo mar da alegria

3)    PARA QUÊ?
Pra cantar o meu samba / Pra cantar com muito amor / Pra reviver essa história

4)    E SUA ESCOLA?
Minha escola já chegou / Minha escola está tão linda / Minha escola é minha vida

5)    PRA FALAR DE QUÊ/QUEM?
Antônio Conselheiro / Monteiro Lobato / Lampião / Joana D´arc
Literatura / Circo / Evolução / Tempos modernos / Natureza

6)    QUEM BATE FORTE?
O meu peito / Meu coração / A máquina / A emoção

7)    COMO VOCÊ “ELEVA” SEUS PENSAMENTOS?
Peço a / Imploro a / Evoco a / Tenho fé em

8)    ESCOLHA UMA ENTIDADE?
Oxalá / Olorum / Oxóssi / Ogun

9)    QUE QUALIDADE VOCÊ MAIS APRECIA NO SER HUMANO?
Paciência / Persistência / Superação / Razão

10)    QUAL O GRITO SEM SIGNIFICADO MAIS LEGAL?
Olê olá / Ilê aê / Zum zum zum / Oi ao

11)    ESCOLHA UMA “DIMENSÃO” PARA PROPAGAR UM ECO…
Cosmos / Universo / Galáxia / Mundo

12)    ESCOLHA UMA OU MAIS REFERÊNCIAS DO CARNAVAL…
Brilho / Luxo / Festa / Cantos / União / Fantasia

13)    ESCOLHA UM “POVO”…
Índios / Portugueses / Negros / Orientais / Romanos

14)    O QUE ELES FIZERAM?
Conquistaram / Desbravaram / Presentearam / Representaram / Mostraram

RESULTADO:

Caminhei
Esse chão que dá o pão
Pra cantar com muito amor
Minha escola é minha vida

Antônio Conselheiro
E a natureza
Bate forte o meu coração

Tenho fé em Oxalá
Superação, olé olá

Ecoa
Por todo o universo
Brilho e Fantasia
O índio veio mostrar

Alalaô pra vocês!

Prato cheio

Evento grande é sempre um prato cheio para pérolas. Assessores sem noção alguma querendo vender pautas ainda mais sem sentido, aquela muvuca na sala de imprensa, sistemas e computadores que não funcionam. E, claro, não podia faltar também o jornalista mala fazendo merda. Um amigo estava em um destes ontem e, desesperado me escreveu no Google Talk. Perguntava se aqui havia espaço para pérolas de jornalistas. Sim, óbvio, respondi. Segue:

Um figura, de um veículo sabe-se lá qual, entra na sala de imprensa e começa a dar uma olhada no material das assessorias de imprensa espalhados no ambiente. Ele se aproxima da responsável pela comunicação do evento e solta:

– Olá, tudo bem? Por acaso você teria alguma sugestão de release?

Ãh? Acuma? Naonde? De onde este ser tirou uma pergunta dessas? E eu deixo mais uma para vocês então: qual deveria ser a resposta da assessora para uma pergunta cretina como esta? Respondam aí nos comentários.

Putaria

Não é propaganda de filme pornô. Muito menos aula de anatomia. É apenas um simples título de release que, por infelicidade do autor, dá um sentido duplo ao que se pretende dizer:

Mussum Mocó* introduz o novo sbrãbous touch

Toque… hãhãhã??? Introdução… hãhãhã? Ok, eu tentei.

Celebridade, moda e a criatividade

Sei que o mundo de moda e celebridades é algo completamente diferente. Principalmente quando isso envolve jornalismo. Não entendo e pouco conheço, é verdade. Mas releases desses dois nichos, em geral, são sempre responsáveis por boas risadas. Selecionei trechos de dois aqui só para terem uma idéia. Minha vontade era publicar o release inteiro, mas não vale. Comentários em itálico:

– Paulista, artista plástica, ex-publicitaria, mãe e avó, empresaria, estilista e suas inspirações são: Antonio Marras e Dries Van Noten – Ufa!!!!!! (o que significa isso no final do texto? Lembrei de um livro de criança que minha esposa tinha que tinha a frase: “Ufa, queimei o dedo na estufa”)

Garra e coragem! Foi assim que Chiquinha da Silva, cearense, nascida em um pequeno município com 8000 habitantes, conseguiu alcançar o sucesso. Filha de humildes agricultores, a desbravadora menina da cidade de Barro começou, ainda muito jovem, a busca pela realização do sonho de oferecer um futuro melhor aos pais e aos seis irmãos. (Homemchavão ficaria muito feliz com a quantidade de termos e expressões batidas em um só parágrafo)