O blog da Petrobras


Uma saída interessante. É assim que eu encaro a iniciativa da Petrobras de criar um blog para tentar se defender da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito). A administração desse canal tem “furado” a imprensa na apuração de fatos. Antes mesmo de ver as reportagens publicadas nos grandes jornais, a companhia chega a divulgar os questionamentos feitos por jornalistas (inclusive revelando que os jornalistas apuram via e-mail) com as respectivas respostas.

O blog, no geral, não está agradando a mídia e vem sendo criticado pelos grandes veículos, o que me parece um posicionamento bastante óbvio. Basta ver o título de reportagem publicada pela Folha de São Paulo sobre o caso. Consigo ver alguns pontos muito positivos do ponto de vista de comunicação:

– Comunicação direta com o público;
– Exposição de maneira clara da versão dos fatos da empresa, sem possíveis distorções da mídia;
– Possibilidade de interessados ou simplesmente qualquer um interagir com a companhia e demonstrar a opinião;
– A simples adoção do canal e a importância dada a ele;
– Um pouco mais de transparência ao processo de comunicação (algo que sempre comento por aqui).

E tem mais. A comunicação da companhia também está usando o Twitter: aqui e aqui.

Vale lembrar que essa postura certamente vai causar grandes inimigos e desavenças na imprensa. O modelo adotado pela Petrobras não só tira o controle da informação das mãos desses meios como expõe a falta de capacidade e de apuração de muitos deles, para não dizer outras coisas. O Azenha coloca essas questões em seu blog. Enquanto isso, a mídia continua batendo forte na iniciativa.

Meu papel não é defender a Petrobras. Nem a imprensa. Trata-se de um bom caso a ser estudado por quem lida com comunicação. Vale observar o que vai acontecer.

Atualização: por conta da repercussão em torno do blog da Petrobras, separei mais alguns links interessantes que podem “ajudar” nas conclusões sobre o caso.

Sylvia Ferrari
Rogério Christofoletti
Daniel Miura
Expressão de Idéias
Sergio Leo
Pedro Doria
Luis Nassif
Idelber Avelar
Claudio Abramo

8 thoughts on “O blog da Petrobras

  1. Isso aí, tamos de olho. Não é uma luta de mocinho x bandido, mas, talvez, um marco na história da comunicação empresarial “deste país”. Vide a reação da imprensa.

  2. A opção da Petrobras é no mínimo corajosa. Claro que não é inteligente criar um clima de hostilidade com a imprensa, de toda maneira, diante de algumas circunstâncias – e que não são exclusivas desta empresa, mas passam por um comportamento questionável dos jornalistas na hora de registrar “o outro lado” – vejo como uma saída interessante.

    Pequenos ajustes poderiam ser feitos, para acalmar a maior parte das críticas ao novo blog, como somente publicar a lista perguntas-respostas no mesmo dia em que o veículo demandante também publicar, e assim evitar o furo do trabalho intelectual do jornalista ao elaborar as questões e trazer à tona determinado viés. De resto, é uma quebra de paradigma que me agrada bastante.

  3. Briga de titãs, de um lado Petrobas, de outra a imprensa tradicional brasileira. O blog é com certeza para gerar buzz, muito mais barulho do que postar os textos, os dados e os fatos numa aba do site. Também é nitída a intenção de desviar a atenção da empresa (que vai de vento em poupa) com o inquérito atual. Considero inteligente a ação e desproporcinal a atitude dos jornalistas e meios de comunicação. O que temem?

    E se a ação vira moda hein, seria no minímo legal observar esta briga.

    Abraços,
    Mateus d’Ocappuccino

  4. Eduardo, de fato, esse é um episódio do qual se pode extrair muita coisa, profissionalmente falando. É no mínimo curioso ver uma mídia até pouco tempo considerada coisa menor ser utilizada como forma de enfrentamento em relação à grande imprensa.

    Do ponto de vista das relações com os jornalistas, realmente, vão ficar fissuras. Esse modo de atuação retira certo protagonismo dos grandes meios e põe a desnudo muita coisa mal formulada por aí.

    Gostei dos links que colocou, dando um pouco a medida de a quantas andam os dois lados: os críticos da ação e os apologistas.

  5. Pessoal, agradeço a visita e comentários. Vamos por partes:

    Ale – acho que nesse caso não temos outra alternativa. Li uma matéria no Estadão dizendo que a Petrobras recuou e só exibirá as perguntas e respostas depois que a matéria for publicada.

    Raphael – pois é, acho que tem muito pano pra manga, mas não deixou de ser uma iniciativa muito ousada.

    Rodrigo – concordo plenamente.

    Jac – sim, ainda há muito medo. Recomendo a leitura desse post: http://aquintaonda.blogspot.com/2009/05/por-que-as-empresas-tem-medo-das-redes.html

    Mateus – acho que é uma das poucas companhias que tem culhão para comprar uma briga como essa. E ainda assim, é bastante questionável.

    Fernando – os links vieram da troca de e-mails entre o Grupo de Estudos de RP Digital da Abracom, são realmente muito bons, mas pouco conclusivos os textos. Achei que muita gente que poderia expressar a opinião ficou sobre o muro não?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s