O outro lado


Eu já cansei de pedir que alguém escreva ou crie um blog  sobre o outro lado do balcão. Mostrar as asneiras que os jornalistas e veículos cometem seria essencial também para ajudar o pessoal que está se formando a não cometer os mesmos erros nas redações.

E a resposta é sempre a mesma: “se fizermos isso seremos boicotados pelos próprios jornalistas e veículos”. Sei não, talvez. Mas seria bem interessante contar as histórias absurdas que rolam do lado dos coleguinhas.

Vez ou outra aparece algo, como este aqui publicado no blog de Clarissa Antunes, da Em Voga Comunicação. É sensacional a resposta do editor do jornal ao receber uma pauta da empresa que a agência atende. A dica veio de um amigo que acompanha o blog dela.

8 thoughts on “O outro lado

  1. Em veículos menores isso é escancarado. Nos maiores, disfarçado, mas também acontece. Clientes anunciantes aparecem como fontes com bem mais frequencia…

  2. Oi Edu, tudo bom?
    Pois é. Esta prática de mesclar o departamento comercial com o editorial é BEM comum, inclusive em alguns veículos com boa reputação jornalística. Muitas vezes, quando é necessária a publicação de um determinado anúncio, do tipo COMUNICADO de emergência, esses departamentos comerciais não entendem o motivo de seus veículos não estamparem tal “propaganda” e apelam para relembrar que sempre foram parceiros com tal cliente. Este tipo de medida, geralmente (para não dizer nunca), não conta com um plano de mídia e é decidida em minutos, sob intensa pressão. Sabemos que uma publicação funciona financeiramente mediante verba de anúncios, mas colocar em xeque o relacionamento que a assessoria, seu cliente e o jornalista estabeleceram é péssimo para a reputação de qualquer veículo. Respeito o trabalho, mas tomar enquadrada de departamento comercial com esse tipo de argumento, é constrangedor para eles.

  3. Eu acho que seria interessantíssimo divulgar mais essas preciosidades, afinal, isso faz parte do mercado, e saber lidar com essas situações é imprenscindivel pra fazer um trabalho legal. Abraços e parabéns pelos posts!

  4. Seria ótimo um blog leve, com posts engraçados sobre as gafes dos jornalistas, eu poderia fazer dez posts rapidinho, só de pensar em algumas situações nesse momento. claro, um blog que não citasse nomes, para evitar constrangimentos, afinal, todos erram. Também consigo fazer dez posts sobre minhas gafes como assessora, ainda mais se lembrar o começo, nossa….

    Esse lado de “presentes”, troca de favores em caso de pauta publicada e influências políticas usadas de maneira questionável é muito mais complicado. Eu não me arriscaria a criar tal blog, mas o conteúdo nesse sentido é, com toda certeza, farto. Infelizmente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s