Egos


Jornalista, em alguns casos, tem um ego maior que o de Fidel Castro. Dependendo da figura ou do veículo para o qual ela trabalha, a apresentação para uma pergunta em coletiva é feita com o peito cheio: “eu sou fulano de tal, da Mussum Mocó Corporation*”. Grande bosta. Acho, inclusive, essa discussão tão inútil.

Outro dia, porém, estava pensando nessa babaquice de alguns profissionais de redação que são uns merdas e se acham os donos do mundo por estarem no chamado “quarto poder”. Salvo televisão e rádio, será que o grande público leitor presta atenção em quem assinou a matéria nas mídias impressas ou no online? Ou só os próprios jornalistas e assessores de imprensa dão atenção a isso? Acham que um contador, um advogado, um médico, um diretor de tecnologia realmente prestam atenção em quem foi a figura que escreveu determinada informação?

8 thoughts on “Egos

  1. Oi, boa tarde, meu nome é Flavio Sartori e sou da 3Go News. Tenho uma duvída;
    ” Os srs desta honrada empresa leem o nome do jornalista que escreveu a materia,ou o expediente do site ou revista?”
    Caramba, só jornalista e assessor que le , mais ninguem.
    Já presenciei varios “bostinhas” esnobarem assessores(alvo preferido deles) e CEO´s, só porque escreve para um determinado veiculo.
    Manja aquele tipinho, que terminou a faculdade recentemente, todo moderninho e vai porcamente vestido para coletiva com CEO.

  2. Conheço vários tipinhos assim. E desprezo todos eles. Justamente por isso não participo de panelinhas nem de happy hours com essa turma. Há um, inclusive, do caderno de informática de um conhecido jornal paulistano, que é bem famoso entre os colegas assessores por se achar o rei da cocada preta na redação onde trabalha.

    É muito bom como profissional, mas um verdadeiro merda no trato com seus pares. É tão merda, mas tão merda, que não demorou muito para que eu passasse a desligar o telefone na cara dele toda vez que era necessário falar com esse bosta. Assim, ele poderia provar do mesmo veneno, pois não cansa de fazer isso com as pessoas.

  3. o flavio disse tudo; só jornalista (e mãe de jornalista) lê expediente. acho que educação é bom e preserva os dentes – já fiz amigos assessores por simplesmente atender ao telefone num certo local que já trabalhei (eles achavam horrível e trabalhoso falar ao telefone).

  4. É verdade que ninguém lê (ou melhor, que ninguém presta… rsrsrs). Prá nós, jornalistas, é sempre bom lembrar que o balcão está cada vez mais estreito e não é nada difícil cair de um lado pro outro. Mas também não é legal achar que isso é privilégio nosso. Aposto que médicos, advogados, contadores também têm lá suas panelas e suas áreas de exposição (que, obviamente, só eles e suas respectivas progenitoras acompanham).

  5. Já ia esquecendo… na próxima encaranção, quero continuar jornalista, só que quero chamar Bruno e trabalhar em jornal diário. Só prá ficar famoso no meio e acreditar que é porque sou foda… (afinal, é o que importa).

  6. Fábio. Ainda bem que eu trabalho numa revista mensal, rs.

    Eu sinto muito mais pena do que raiva de gente que nunca olhou para a minha cara e quando está mal no veículo que trabalha vem falar com vc como se fosse seu amigo de cerveja.

    Fico com a opinião do Giba, ninguém presta!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s