Mais "dissionáriu"


Acabei pegando uma pérola no texto, mas não deixa de ser interessante. Como já prometido, em breve terei o meu próprio “dissionáriu do executivês”. Isso até parece aquele bingo de reunião, com cartela forrada de expressões desse gênero e, cada vez que o executivo solta uma você coloca o feijão!!! Segue o modelo colocado pela Exame:

Headhunter apresenta os novos jargões do mundo empresarial

As 20 expressões mais usadas na área de gestão de pessoas

Constantemente palavras “importadas” de diferentes segmentos invadem os escritórios e a rotina dos executivos e uma das maiores saias juntas (não seria saias justas?) que um profissional pode passar é não entender o que está sendo discutido em uma reunião de negócios. Muitos fingem que entendem e até discorrem sobre o tema e acabam fazendo comentários totalmente equivocados. Outros ouvem e ficam quietos por vergonha de admitir que não sabem o que está sendo falado. Desconhecer algumas expressões não significa estar ultrapassado, mas estar atualizado e antenado com as novidades passa a ser pré-requisito importante para ascender profissionalmente.

João Pedro Caiado, presidente da Human Development Organization International, especialista em serviços de headhunter e coaching, diz que para se manter atualizado sobre os termos e acompanhar a velocidade das informações, pesquisa e leitura são fundamentais. “O profissional deve acompanhar as mudanças e estar antenado nas novidades para não se expor negativamente em reuniões importantes”, afirma o consultor.

Para auxiliar os profissionais neste assunto, o especialista conversou com executivos de diversas áreas e relacionou as expressões que um profissional necessita conhecer. “Selecionei os 20 principais termos que estão na boca dos executivos contemporâneos e busquei o significado de cada uma delas. Com isso em mãos fica mais difícil ‘pagar um mico’ em uma entrevista de trabalho ou até em reuniões de negócios”, diz Caiado.

As vinte expressões mais atuais:

1. Coach – facilitador; instrutor; entidade (pessoa, equipe, departamento, empresa, etc.) que atua como agregador das capacidades de cada elemento da cadeia (equipe, departamento etc.);
2. Empowerment – dar poder ao grupo/equipe;
3. Benchmark – (marcos referenciais) – processo sistemático usado para estabelecer metas para melhorias no processo, nas funções, nos produtos etc, comparando uma empresa com outras. As medidas de benchmark derivam em geral, de outras empresas que apresentam o desempenho “melhor da classe”, não sendo necessariamente concorrentes;
4. E-Procurement – utilização da internet para a automatização dos processos de compra e gestão de bens e serviços necessários à atividade da empresa;
5. Housekeeping – técnica para iniciar e manter os processos de Qualidade e Produtividade Total em uma empresa;
6. On the job – No dia-a-dia do trabalho. Exemplo Treinamentos on the job. Utilizar a rotina, dentro das tarefas práticas de um indivíduo sem retirá-lo para a sala de aula. Como um estágio prático supervisionado diretamente;
7. Team Building – dinâmica de grupo em área externa, na qual os participantes são expostos a várias tarefas físicas desafiadoras, que são exemplos comparativos dos problemas do dia-a-dia da empresa. Tem como finalidade tornar uma equipe integrada;
8. Downsizing – redução dos níveis hierárquicos em uma organização com o objetivo de aproximar os níveis operacionais da alta direção;
9. Joint-venture – Associação de empresas, não definitiva, para explorar determinado negócio, sem que nenhuma delas perca sua personalidade jurídica;
10. Market Share – participação no mercado;
11. Outplacement – investimento de uma empresa na recolocação de ex-funcionário em outra organização;
12. Outsourcing – terceirização de tudo o que não faz parte do negócio principal de uma empresa;
13. Turnover – palavra em inglês que na tradução quer dizer: rotatividade, movimentação, giro; circulação; medida da atividade empresarial relativa ao realizável em curto prazo, vendas;
14. Core Business – relativo ao próprio negócio ou especialidade no negócio que faz;
15. B2E – Business-to-employee – relação entre a empresa e o funcionário;
16. Budget – porcentagem do faturamento da empresa destinada a ações de MKT, vendas, novos negócios etc;
17. Kaizen – processo de melhorias contínuas, com bom senso e baixos investimentos;
18. Absenteísmo – do francês absentéisme, derivado do inglês absenteeism, de absentee, ou pessoa que falta ao trabalho, à escola etc. Que vive ou está, via de regra, ausente;
19. Just-in-time – metodologia com base nas pessoas, cuja filosofia é eliminar tudo aquilo que não adiciona valor ao produto. O objetivo é fornecer exatamente as peças necessárias, nas quantidades necessárias, no tempo necessário.
20. Stock options – incentivo que permite aos funcionários comprar ações da empresa em que trabalham por um preço abaixo do mercado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s